Recomendação de apostas de futebol

TSE barra candidaturas avulsas ao Senado

Para Corte, partidos que formam coligação para disputar o posto de governador devem lançar candidato único ao Senado

TribunalSuperiorEleitoral-TSE-Fachada-Placa-Externa-29set2020
Copyright Sérgio Lima/Poder360 – 25.nov.2020
Julgamento ficou 4 a 3; venceu a divergência aberta por Mauro Campbell; na imagem, a fachada do TSE, em Brasília

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidiu nesta 3ª feira (21.jun.2022), por 4 votos a 3, que partidos coligados ao cargo de governador devem respeitar a mesma coligação na disputa ao Senado. Com isso, o Tribunal manteve a regra atual.

A Corte analisou uma consulta feita pelo deputado federal (União Recomendação de apostas de futebol). Ele perguntou se partidos que formam uma coligação para disputar o posto de governador são obrigados a lançar um único candidato ao Senado. 

O relator do caso, ministro Ricardo Lewandowski, disse que não, abrindo a possibilidade de candidaturas diversas ao Senado por integrantes de uma mesma coligação. O magistrado, no entanto, ficou vencido. Só foi seguido por Sergio Banhos e Edson Fachin.

Venceu a divergência aberta pelo ministro Mauro Campbell. Para ele, não há motivos para alterar a jurisprudência atual da Corte sobre o assunto, que barra coligações diferentes ao governo estadual e ao Senado. Eis a do voto (128 KB).

Para Campbell, autorizar candidaturas diversas violaria a “coerência nos arranjos partidários”, possibilitando que partidos sejam aliados em uma disputa e concorrentes em outra.

O ministro foi seguido por Alexandre de Moraes, Benedito Gonçalves e Carlos Horbach.

“A opção do legislador, reforçada pela atual jurisprudência deste Tribunal, de não permitir coligações diversas nesses pleitos, sobretudo coligações que contemplem simultaneamente partidos aliados e rivais nas eleições majoritárias estaduais, está em consonância com o desejo de uma atuação política harmônica e coordenada por um mesmo grupo político”, afirmou Campbell.

Lewandowski considerou que a ampliação está de acordo com o princípio da autonomia partidária. Eis a do voto do relator (456 KB).

“O postulado da autonomia partidária, além de possuir assento constitucional, tem inegável relevância jurídico-política, e, por isso mesmo, somente pode ser relativizado quando as restrições à sua aplicação resultarem de texto legal expresso e inequívoco”, afirmou.

o Poder360 integra o the trust project
autores
〖Programas para ganhar dinheiro online 〗〖Apostas Copa do Mundo 〗〖google ganhos online 〗〖Apostas online 〗〖Melhores sites de poker no Brasil 〗〖Programa de renda online 〗〖CAÇA-NIQUEL 〗〖Bacará Online 〗〖AFUN〗〖Site de aposta de jogos 〗〖AFUN | Empresa de apostas esportivas〗〖Itens de apostas de futebol 〗〖jogo de apostas de futebol 〗〖Melhores sites de apostas de futebol online 2022〗〖AFUN Apostas Esportivasย 〗〖Recomendações de apostas para a Copa do Mundo 〗〖Preço mais recente do Bitcoin 〗〖negociação de criptomoedas 〗〖Apostas na Internet em loterias 〗〖Cassino 〗〖mineração de criptomoedas 〗〖Placar de futebol jogos de hoje 〗〖Online gambling 〗〖Apostas de futebol ao vivo 〗〖Melhores sites de apostas de futebol online 2022〗〖AFUN - Jogos esportivos online〗〖Free Online Slots 〗〖Betano apostas esportivas 〗〖Apostas em tempo parcial 〗〖la Premier League inglesa 〗